Notícias

Consultório farmacêutico na farmácia independente

A farmácia independente precisa se reinventar para permanecer no mercado a médio e longo prazo. O comercio farmacêutico continua crescendo no Brasil, o que deve retardar sua consolidação, dando tempo para as farmácias independentes se reinventarem. Mas, em alguns bairros de São Paulo, elas quase já não existem.

 

Os principais pontos fortes das farmácias independentes são:

- Maior proximidade com os clientes
- Relacionamentos mais coesos
- Mais agilidade na tomada de decisões
- Mais flexibilidade no atendimento ao cliente
- Menor rotatividade de funcionários

 

Como pontos fracos podemos destacar:

- Dificuldades na gestão do negócio como empresa: Marketing, Recursos Humanos, Financeiro e Administrativo.
- Não tem estratégia
- Infraestrutura menor, área de vendas reduzida, muitas lojas sem estacionamento.
- Menor faturamento.

 

Como o cliente vê a farmácia:

- Não está acostumado a pagar pelos serviços prestados que são bancados pelo lucro da venda de medicamentos, perfumarias e demais mercadorias comercializadas. Ele julga que a verificação da pressão e a aplicação de injeções, por exemplo, são serviços gratuitos. E que todos os medicamentos têm que ter desconto.
- Sente que é um canal confiável para adquirir produtos e serviços
- Espera que a compra será rápida: em média, um cliente fica na farmácia por sete minutos 
- Aceita indicações e é influenciado por sugestões do farmacêutico e atendentes.
- A loja presta serviços personalizados e oferece assistência farmacêutica

 

Os gestores, donos das farmácias, precisam também verificar como veem as suas empresas. Como contribuem ou poderiam contribuir para prestar serviços que agreguem valor e não apenas preço reduzido.

Num mundo onde as mudanças vão ocorrer cada vez mais rapidamente, temos como desafio desenvolver serviços inovadores para manter a competitividade e a longevidade das farmácias independentes

Seria o “consultório farmacêutico” um novo braço de negócios, principalmente para as farmácias cujos proprietários são farmacêuticos? Eles poderiam, dentro das suas farmácias, ter os seus consultórios? Aproveitando seus pontos fortes e ainda se capacitando para superar os pontos fracos? Penso que a farmácia independente é um ambiente bem mais favorável para receber “o consultório farmacêutico”. As independentes não devem espelhar-se nas grandes empresas - estas têm outra realidade. Devem estar atentas ao que estão fazendo e, principalmente, ao que não estão fazendo e ao que poderia ser feito pelas independentes com lucratividade. Todo serviço oferecido deve produzir mais retorno do que o custo para ser prestado - caso contrario, deve ser eliminado o mais rápido possível.

No entanto, precisamos planejar e implantar um processo estruturado e, ainda e principalmente, o propósito do consultório. Que problemas dos clientes ele vai resolver? Farmácia que não tiver foco para atender às reais necessidades dos seus clientes certamente não está preparada para manter-se forte e útil à sociedade e, portanto, está com certeza predestinada ao fracasso.

Outro desafio será mudar o paradigma de não cobrar por uma consulta e demais serviços farmacêuticos. Faturamento pode não ser o objetivo, mas é uma necessidade. A principal fonte de recursos de uma farmácia independente poderá não ser mais a comercialização de “caixinhas”, mas sim cuidar das pessoas. Ajudar as pessoas não é sinônimo de trabalho voluntário. Existem diversas profissões cujo foco é ajudar a sociedade de alguma forma, seja no aspecto físico ou psicológico. Algumas dessas profissões estão, inclusive, entre as mais bem pagas do país!

Os clientes não lucrativos precisam se tornar rentáveis, caso contrário devem ser desestimulados - precisam entender que, se quiserem se relacionar, contar seus problemas e triunfos na farmácia independente, precisarão pagar pelos serviços e consumir seus produtos. Não adianta você ser apaixonado pela profissão e gostar de cuidar de gente - se sua empresa não tiver lucro, ela fecha e o amor morre!

Pense nisso.

 

Por: Dr. Juan Carlos Becerra Ligos

 

Fonte: ABCFARMA

VEJA MAIS NOVIDADES

Ministério da Saúde prevê aumento no orçamento do programa “Aqui tem Farmácia...

O Ministério da Saúde enviou ao Congresso Nacional o Projeto de Lei Orçamentária Anual – PLOA – que prevê um aumento nas verbas direcionadas ao Programa...

LEIA MAIS

Cyclofemina volta a ser comercializado com chegada da Carnot...

A Hemafarma Com. E Ind. Farmacêutica, filial brasileira da Carnot Laboratórios® do México, é o novo titular do registro do anticoncepcional injetável Cyclofemina® junto à Agência...

LEIA MAIS

Cinco medicamentos suspensos após inspeção em...

Fiscalização foi realizada em dois produtores diferentes com fábricas localizadas fora do Brasil. Trabalho verifica condições de funcionamento e Boas Práticas de Fabricação de...

LEIA MAIS

Pesquisa com consumidores mostra impactos de programas de...

A população brasileira é realmente engajada aos programas de fidelidade? Para responder esta pergunta o Instituto Febrafar de Pesquisa e Educação Continuada (IFEPEC) realizou a...

LEIA MAIS